Galvanização a fogo ou eletrolítica: qual a diferença?

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Uma das maiores preocupações entre os profissionais que utilizam materiais de aço e ferro é a durabilidade e resistência que eles apresentam dentro de suas obras.

Independente do tipo de projeto no qual eles são usados, é fundamental garantir que esses produtos de aço e ferro ofereçam qualidade e segurança em sua aplicação, garantindo uma boa relação de custo x benefício ao local, mas como se certificar de que isso ocorra?

Entender quais produtos devem ser adquiridos para executar uma reforma ou construção é o ponto de partida para realizar boas compras, selecionando apenas materiais de extrema qualidade e alta performance que renderão os resultados esperados pelos profissionais encarregados por uma obra.

Em meio a tantas opções de materiais disponíveis no mercado, as Conexões Galvanizadas figuram entre as principais categorias de produtos que possuem presença garantida em quase todos os tipos de projetos.

As Conexões Galvanizadas garantem segurança e durabilidade à infraestruturas, sistemas de condução de fluídos e gases e diversos segmentos da indústria, possuindo versatilidade devido a suas diversas formas de aplicação.

Um dos muitos exemplos populares no mercado são as Conexões de aço de carbono, usadas em uma série de ambientes com a finalidade de criar sistemas de distribuição, tubulações, infraestruturas de suporte e demais possibilidades que o produto galvanizado tem a oferecer.

Conexões Galvanizadas são uma excelente escolha para implementação em projetos de construção e reforma, mas será que você sabe dizer qual a diferença entre os principais processos de galvanização existentes?

Se você está interessado em produtos galvanizados, confira abaixo nosso guia explicando as diferenças entre os processos de galvanização à fogo ou eletrolítica:

●    Galvanização à Fogo


Também conhecido como galvanização por imersão, o processo de galvanização à fogo é o mais tradicional e uma grande maioria das peças galvanizadas encontradas no mercado passaram pelo mesmo.

Na prática, a galvanização à fogo consiste em mergulhar peças de aço em um tanque com zinco derretido numa temperatura de cerca de 460º C, permitindo que o zinco cubra a superfície do aço e se obtenha um produto de revestimento de maior espessura, melhor aderência e resistência à abrasão.

O processo de galvanização à fogo é bastante conhecido por oferecer mais resistência, durabilidade e versatilidade de aplicação à uma série de componentes indispensáveis em projetos, como as já citadas Conexões de aço de carbono.

●    Galvanização Eletrolítica


Durante o processo de galvanização eletrolítica, o revestimento galvanizado dos componentes é obtido através do uso de eletricidade enquanto matéria-prima.

Na galvanização eletrolítica, as peças passam pela eletrodeposição a partir do fornecimento contínuo de uma corrente de energia elétrica que percorre o metal dos componentes de ferro e aço promovendo sua oxidação.

Como resultado, as Conexões de aço de carbono, ferro ou variante obtém uma superfície lisa e brilhante que reveste as peças, oferecendo resistência à corrosão ainda que com uma camada de zinco de menor espessura.

Ambos os processo de galvanização possibilitam que as  Conexões Galvanizadas sejam utilizadas em diferentes tipos de projeto de construção e reforma. Assim sendo, não perca tempo e confira a linha de produtos galvanizados na loja da Montana Tubos! Aposte em qualidade, resistência e segurança!



Comentários no Facebook